Os fatores da criatividade

Estamos vivendo uma fase, em que as notícias são instantâneas, nem sempre verdadeiras, com opiniões de todos os lados e diariamente temos um “bombardeio” de informações que impactam em nosso desempenho, seja profissional e pessoal.

E onde fica a criatividade, nessa história? Estimular a criatividade pode ser uma tarefa mais difícil do que uma corrida de São Silvestre. E nem sempre ela aparece no formato que você espera ou precisa.


Temos exemplos, como Albert Einstein, que não tinha o melhor desempenho em sua turma do colégio, mas a sua capacidade criativa e minuciosa, o fez enxergar o universo de forma diferente.


Mozart era mais detido ao seu processo, porém tinha um dom singular. Trabalhava tanto com a sua criatividade, ao ponto de ser mutilador, quando sentia que ela não fluía conforme o esperado ou era interrompido. Como será que ele lidaria com essa situação nos dias de hoje?


Outras personalidades incríveis, como Fred Mercury, Michael Jackson, Santos Dumont, Frida Kahlo, Pablo Picasso, entre outros, trabalharam a criatividade de forma excepcional em nossa história. Mas vale lembrar, que essas pessoas mesmo sendo excepcionais, também tiveram que filtrar e estimular as ideias para atingirem o resultado esperado.


Uma coisa é certa, a criatividade não é atingida de forma automática. Existem dias que nada vem na cabeça e outros que somos uma maquininha de ideias e conceitos. Os fatores variam de pessoa para pessoa. O importante é aproveitar cada momento criativo, buscar referências dentro dos mais variados universos e não se culpar.


Finalizo com uma pergunta: como você atinge e trabalha a sua criatividade nos dias de hoje, de forma mais fácil?


Gabriel Dovigo | Diretor de Criação da Focco Comunicação

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo